segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

MEXENDO COM LIVROS: UNE CARRAFE D'EAU, S'IL VOUS PLAÎT

MEXENDO COM LIVROS: UNE CARRAFE D'EAU, S'IL VOUS PLAÎT:   Estudei língua francesa, e minha professora Eloisa, que morou quatros anos em Lion, nos falava sobre a França, "em francês", ...

UNE CARRAFE D'EAU, S'IL VOUS PLAÎT

Cj. Jarra e Copos p/ Água Country Bohemia - 7 peças Estudei língua francesa, e minha professora Eloisa, que morou quatros anos em Lion, nos falava sobre a França, "em francês", assim perdi muita coisa. Éramos apenas três alunas, as demais optaram pelo inglês, na faculdade de Letras, sendo que uma delas era irmã da nossa mestra  e falava muito bem o idioma. Eu apanhava! Sempre que surge algum documentário sobre a França, eu ganho alguns minutos de mais conhecimentos sobre este povo. Tínhamos um programa aqui na TV de Porto Alegre, chamado "Viajando com a Guaíba" e o apresentador era Ernani Behs, que depois encontrei em Torres e disse ser assídua daquele programa. Ernani falava sobre uma eclusa em Bom Retiro do Sul, no rio Taquari. Num domingo partimos meu filho e eu a procura da tal obra de engenharia, já que eu havia esquecido o nome do município, fomos pedir informações em Estrela. Aprendi com Ernani sobre o aproveitamento dos rios, como via de navegação e nós tínhamos uma bem perto, para ser visitada. A França soube muito bem aproveitar as veias que cortam o país e até criar outras. No que diz respeito a água para consumo doméstico, o sistema que abastece Paris é diferente do nosso: a água entra direto dos grandes reservatórios para as torneiras para evitar a contaminação nas caixas residenciais. Não usam o cloro, usam o osônio e os franceses, sem nenhum temor, tomam água das torneiras e tem água gratuíta nos restaurantes. Basta pedir: "Une carrafe d'eau, s'il vous plaît". Une carrafe d'eau, significa uma jarra com água, que será servida pelo garçon. Nunca esquecer o "s'il vous plaît", que poderá ser convertido em desconto no pedido de um café (por gentileza).
Os cursos d'água e canais franceses são em geral divididos em sete bacias que abundam e foram nivelados por eclusas, assim a navegação é possível, além de gerar empregos com turismo.
  • "A bacia Oeste inclui o rio Loire, os canais bretões e a bacia do rio Maine (Mayenne e Sarthe). Ela atravessa toda a península do Armor e liga o Loire de Nantes a Brest.
  • A bacia Sudoeste compreende os canais do Marais Poitevin, o rio Dordogne e seus afluentes (como o Vézère), o rio Garona, o Lot e a malha do Adour. Prazeres da mesa e lugares históricos dizem presente ao encontro.
  • A bacia Sudeste atravessa várias regiões - Meio-Dia-Pireneus, Languedoc-Roussillon, Provença-Costa Azul e Ródano-Alpes. A joia desta malha muito frequentada é a segunda parte do canal do Midi, que vai de Toulouse a Sète.
  • A bacia do Centro, que atravessa as regiões do Centro, da Borgonha, da Auvérnia, do Franco-Condado, possibilita descobrir matas e cidades pitorescas com uma seleção de escalas, como Sancerre e Auxerre.
  • A bacia do Norte, ligada à Bélgica, atravessa as grandes cidades do Norte, como Lille, Arras e Douai. O canal de Saint-Quentin forma o mais longo subterrâneo navegável da França.
  • A bacia do Noroeste é a que atrai mais visitantes. Ela inclui o Sena e os canais parisienses (canal Saint-Denis, canal Saint-Martin."
  • Pesquisa: Website oficial da França.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

MEXENDO COM LIVROS: NIGERIANOS PEDEM SOCORRO - I`m nigerian

MEXENDO COM LIVROS: NIGERIANOS PEDEM SOCORRO - I`m nigerian: Chora a França por 12 mortes em Paris por extremistas islâmicos, que gritaram "Vingamos o Profeta", com uma explosão ao Jornal &...

NIGERIANOS PEDEM SOCORRO - I`m nigerian

Chora a França por 12 mortes em Paris por extremistas islâmicos, que gritaram "Vingamos o Profeta", com uma explosão ao Jornal "Charlie Hebdo" e  franceses indignados  proclamam um "Je suis Charlie", ao mundo capitalista. Enquanto baldes de lágrimas caem sobre a sepultura dos mortos, o restante do mundo é esquecido. Na mesma data inicia um massacre na cidade de Baga por muçulmanos que por lá foram chegando, e institucionalizaram a fé profetizada e ironizada lá na França. Este massacre que já se contabiliza aproximadamente 2.000 nigerianos neste período de cinco dias, me fez lembrar a fábula do "Lobo e cordeiro" de Esopo: "Se não podemos por as mãos em franceses ou ingleses, um dia,  os nigerianos tiveram esta descendência e assim vamos matá-los da mesma forma que já estamos acostumados aqui onde a noticía não entra e não sai." Enquanto manifestações apoiam os parentes das vítimas do jornal, o mundo desconhece o número de mortos e não derrama lágrimas pelos nigerianos.