segunda-feira, 28 de maio de 2012

MEXENDO COM LIVROS: ILHA DE PALM BEACH - no Breackers

MEXENDO COM LIVROS: ILHA DE PALM BEACH - no Breackers: Fundado em 1896 em uma área de aproximadamente 23 hectares, toda costa de praia que abrange as terras do hotel são privativas. Batizado co...

ILHA DE PALM BEACH - no Breackers

Fundado em 1896 em uma área de aproximadamente 23 hectares, toda costa de praia que abrange as terras do hotel são privativas. Batizado com o nome de Palm Beach Inn, o mega hotel sofreu dois incêndios e ficou flechado por 28 anos. A arquitetura foi inspirada na Villa Média Romana renascentista do século XV. Na reforma que durou apenas um ano, iniciada em 1924 foram necessários 75 artesãos vindos da itália, para pintar os afrescos do saguão e os salões. Dos salões que tive oportunidades de conhecer, o do café e um belíssimo salão com mesas para festas que estava aberto a visitação. A entrada (lobby) ou salão de alto requinte lembra o Palácio Cárega de Gênova com tapeçarias e obras de arte. Ali se hospedaram, a família Rockfellers entre tantos  poderosos, presidentes, nobres europeus, intelectuais e artistas, todos atraídos pelo luxo e beleza de seus salões preparados para festas intímas. No café havia uma pequena distinção, àqueles que se serviam de um determinado bife de frios e doces pagariam uma taxa de dez dólares acrescidas na taxa de hospedagem. Lembrei-me, então da burguesia européia, de Tólstoy quando em Anna Karênina ele narra: "burgueses para um lado e nobres para o outro" quando os russos visitavam os clubes na Alemanha, para aproveitar o último calorzinho do Norte. Naquele salão estava sentado Tólstoy próximo de mim, tão próximo que o meu café apesar da abundância e ser servido por garções, não teve o sabor do  mais humilde café. Com a crise americana e européia o hotel baixou de preços, podendo se passar uma noite por 300,00 dólares, pelo preço mais baixo, com o nome de Breackers  Hotel, desde 1926, seus proprietários são os descendentes de Henry Flager, o primeiro dono. Na classificação está entre os seis melhores hotéis americanos.

terça-feira, 22 de maio de 2012

SALÁRIO DE VEREADOR - Pedro Cardoso Duarte

Em 1945 os vereadores não recebiam salário nas capitais brasileiras. Em 1948 os vereadores de alguns municípios pequenos não compareciam as reuniões semanais por que estariam trabalhando de graça. Muitos Prefeitos já haviam assinado o pedido das Câmaras para que fossem pagos seus proventos. Por volta de 1950 todos os municípios brasileiros pagavam salários para todos. O único vereador brasileiro que não aceitou receber o salário em dois mandatos consecutivos de 1956 a 1964 foi o vereador Pedro Cardoso Duarte/TORRES/RS/BRASIL, sendo eleito Prefeito em 1964 a 1969, no período da Ditadura. Pedrinho, era assim que o chamavam compareceu durante 8 anos a todas as sessões da Câmara de Vereadores de Torres, sem receber um centavo. A primeira medida, após assumir a Prefeitura foi baixar o seu próprio salário, recebendo assim salário abaixo dos vereadores daquela Câmara. Havendo a discrepância, a Câmara se agitou e durante os cinco anos de gestão teve minoria a seu lado.

terça-feira, 15 de maio de 2012

MEXENDO COM LIVROS: HACKERS PARA QUE TE QUERO

MEXENDO COM LIVROS: HACKERS PARA QUE TE QUERO: São chamados de piratas digital. Os hackers são assim comparados aos piratas, porque estes não foram vistos só por ser saqueadores dos ma...

segunda-feira, 14 de maio de 2012

TIMOR E LUCÉLIA SANTOS

Lucelia Santos uma atriz brasileira que interpretou vários papéis entre novelas, teatros e cinema, fez um documentário junto com uma equipe brasileira em Timor Leste. Tratava-se do documentário chamado "O Massacre que Ninguém Viu" dirigido por ela que  se estabeleceu e viveu o sofrimento do povo timorense. Timor leva este nome dado pelo povo Malaio "Timur" que traduzido para o português significa "Leste". Temos a palavra repetida "Leste Leste" ou ainda "Timor Timur" assim chamado pelos indonésios na metade "Sudoeste". Esta ilha já era habitada 12.000 a.C pelo povo chamado maubere e eram  caçadores e agricultores. A ilha fica na Oceania entre a Austrália e o arquipélago indonésio e tem o tamanho aproximado de Sergipe. Está banhada ao sul pelo Mar do Timor. Foi descoberta pelos portugueses em 1512 que permaneceram na ilha até 1975 com a capital em Dili. Após a independência, três dias depois foi invadida pelos indonésios que impiedosamente mataram 200 pessoas num mesmo local, conhecido como "Timor Lorasse". Com a ajuda da ONU  conseguiram a nova independência. Povo sofrido pela colonização portuguesa,  passou por uma quase total escravidão, apenas alguns pontos da ilha crescia e supria as necessidades  deixando o resto da ilha sem saneamento, planejamento de saúde, habitação e trabalho. Por 24 anos massacrados pelos vizinhos que queriam a posse da ilha, lutaram, morreram. O trabalho de restabelecimento social foi duro e de perto os brasileiros conversavam com o povo, eram os 125 militares do batalhão de Polícia do Exército de Brasília que juntamente com outros militares faziam parte da misssão de paz da ONU (12.000 integrantes). Os brasileiros conquistaram a simpatia dos timorenses e levaram solidariedade, ajudaram a reerguer escolas e levaram segurança. A Dra Ângela Tavarez Bezerra, capitã-médica permeneceu oito meses e fez 1500 consultas. Tratou de doenças de pele, tuberculose e malária entre outras. O tenente-coronel Heino Guimarães de Lima proferiu a seguinte frase: "Você aqui não é Ângela, é a bandeira do Brasil".